Sobre o livro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se o seu intuito ao visitar essa página é simplesmente o de baixar o meu mais recente livro, sem mais demora, bem, aqui está ele: clicando na imagem abaixo você pode fazer gratuitamente o donwload da versão eletrônica da obra. O arquivo está em extenção-formato .Pdf, mas pode ser facilmente convertido para outros dependendo de sua preferência de leitura ou dispositivo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você igualmente pode, caso prefira, adquirir a versão física da obra, comprando-a diretamente no site da Editora Elegantia Jurisclicando na imagem abaixo. Ali, também podem ser adquiridas as obras jurídicas de todo o excelente catálogo da editora:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora, se você tem um tempinho de sobra, vou te convidar para conversar um pouco, logo abaixo, sobre a obra e sobre o que ela significa:

 

  

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Desde a massificação total das possibilidades de compartilhamento digital gratuito de conteúdos das mais variadas mídias e com os mais variados propósitos, no início deste século, opera - nem um pouco sileciosamente - uma revolução na forma como adquirimos informação. Entre hospedagem clandestina de arquivos de áudio e texto, e distribuição peer to peer de filmes e de softwares para dispositivos móveis de baixo custo, é possível dizer que a revolução triunfou: mega-indústrias como os grandes conglomerados do business musical (e de entretenimento em geral) foram obrigados a, em larga escala, se adaptar a uma gigantesca parcela de neoconsumidores que já nasceu com a ideia de ter acesso facilitado aos seus conteúdos prediletos. O 'velho estilo' do mercado literário (mesmo a editoração de obras técnicas e científicas) precisou correr atrás da tendência de franquear conteúdos - ou parte generosa deles - de forma inteiramente gratuita: livre.

 

O antigo binômio de preço/tempo que se quitava para ir a uma loja adquirir um disco, um livro, uma apostila ou ver um filme foi substituído pela conveniência da venda ou mesmo da distribuição digital - onde um cadastro de acesso com a permissão de ingresso em um mailing list vale tanto ou mais do que dinheiro, por vezes.

 

Sobretudo a produção cultural teve um acréscimo fabuloso de uma sobrevida (ou, melhor: um renascimento sobre outras bases): ao contrário do que vaticinavam, amedrontados, os grandes empresários do setor (pouco afeitos à cultura propriamente dita), a explosão internética cada vez mais ágil aproximou público consumidor e autores, produtores e artistas em geral de um modo inimaginável. 

 

A quebra dos antigos moldes de comércio de produções culturais é a responsável, hoje, por músicos, cineastas, literatos e pesquisadores terem contato direto com seu público alvo de um modo frutífero e jamais visto. O intermédio e o monopólio dos gerentes do business não é mais indispensável: você pode estar nesse momento depositando dinheiro em uma conta de crowdfunding para financiar na sua cidade o show de um grupo musical estrangeiro cujo disco você já escutou na íntegra, por streaming, no celular, ou mesmo gratuitamente baixado em casa.

 

Ou mesmo você pode estar lendo nesse momento em seu tablet ou e-reader um capítulo disponível de um badalado livro recentemente lançado, para decidir - sem sair de casa - se a compra dele vale à pena ou não.

 

Quem sabe você está assistindo no seu laptop algum filme adquirido via algum servidor de torrents, antes mesmo de essa película estrear nos cinemas nacionais? 

 

Enquanto as fronteiras entre agilidade e ilegalidade quanto à quebra de direitos autorais vão se borrando nessa metade de década, é momento de se fazer uma escolha crucial: valorizar o acesso ou a ownership?

 

Inspirado por uma série incontável de artistas (especialmente músicos) que admiro, decidi entrar nessa dança me valendo da primeira opção: quero que meu segundo livro publicado (fruto, dessa vez, das minhas pesquisas de doutoramento) seja o mais fluidamente compartilhado possível. Quero facilitar o acesso ao meu trabalho, no máximo possível que se pode chegar do limite.

 

dowload dessa obra - como se pode ver logo acima dessa página - é total e inteiramente gratuito. A versão escolhida para ser distribuída, o .pdf (portable document format) foi inclusive pensada para gerar a compatibilidade imediata com (quase) qualquer aparelho eletrônico disponível hoje em dia no mercado. Leia no seu computador pessoal desktop, no seu portátil, no seu tablet, no seu celular... imprima, se quiser (aconselho a economizar papel nos dias de hoje, mas, vá lá, enfim).

 

O arquivo é inclusive 'desprotegido' para que você possa selecionar partes do texto e citar em trabalhos, artigosapresentações, etc.

 

Há, sim, uma versão 'física' do livro que está à venda: é simplesmente uma versão que serve para quem ainda prefere sentir o livro em mãos (você pode não acreditar, mas eu também me incluo entre esses). É preciso minimamente custear a edição e por isso a versão física está à venda - especialmente no site da Editora Elegantia Juris. Se eu pudesse editar um número suficientemente grande de livros físicos para distribuição nacional gratuita sem ir à bancarrota, acredite, eu faria.

 

Liberar o download de uma versão digital do meu livro é a maneira que eu encontrei para minimamente me mostrar a favor de uma ausência de distanciamentos entre meu texto e as pessoas que querem lê-lo, o que - para o autor de uma obra como essa - é fundamental.

 

Ponderei muito essa decisão, mas foi uma das condições que impus (sobretudo a mim mesmo) para que essa tese ganhesse a luz sob a forma de livro.

 

Entre outras coisas - e o leitor vê isso desde a introdução - minha proposta é a de mergulhar e aderir à série de mudanças, câmbios, revoluções e saltos no escuro que devem ser tomados por quem quer deixar a zona de conforto e evoluir. Não poderia ser diferente em relação à escolha entre poder ou não distribuir essa obra pelo mundo. É óbvio, e seria hipocrisia se não fosse.

 

Chega de anunciar rumos para um dia serem tomados. Vivenciemos a própria mudança que queremos. Não é indolor, mas os resultados são incríveis.

 

 

Outono de 2015, algum lugar

Gabriel

 

Escuta só:

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now